Acesso Restrito a Associados:

Busca no site:
Compartilhe
Notícias

Medicamento inovador no combate à obesidade e sobrepeso chega ao Brasil

Data: 21/11/2019

Um dos principais benefícios de Belviq® está na segurança, não sendo uma substância estimulante ou narcótica, além do fato de o paciente continuar perdendo peso ao longo do tempo

 

A partir de outubro, a Eurofarma, presente em 20 países e a farmacêutica brasileira que mais investe em inovação, anuncia a chegada de Belviq® (cloridrato de lorcasserina) ao Brasil, medicamento inovador no combate à obesidade e ao sobrepeso.

 

Estudos clínicos mostraram que, após 52 semanas de tratamento, quase metade dos pacientes que usaram lorcasserina perderam 5% ou mais do peso corporal, sendo que cerca de 22% desses pacientes perderam 10% ou mais do peso corporal.

 

Disponível em todo o país, o produto é um aliado a mudança no estilo de vida, com dieta e atividade física, para a perda e manutenção do peso. Não sendo uma substância narcótica nem estimulante, Belviq® apresenta boa tolerabilidade e, consequentemente, permite boa aderência ao tratamento. Unido a isso está a segurança cardiovascular, comprovada pelos estudos clínicos: a taxa de eventos cardiovascular com uso de medicamento foi semelhante ao grupo que usou placebo.

 

“Belviq® amplia ainda mais nossas soluções para o combate à obesidade e ao sobrepeso, além de trazer segurança e comodidade para médicos e seus pacientes. Este medicamento inovador possui eficácia aliada a segurança e tolerabilidade a fim de reduzir, por exemplo, o efeito sanfona, que tanto agride pacientes que sofrem desse mal”, comenta Roberta Junqueira, diretora Comercial da Eurofarma.

Epidemiologia – A prevalência da obesidade vem aumentando entre adultos, tanto nos países desenvolvidos quanto naqueles em desenvolvimento e, no Brasil, não é diferente. Dados recentes apontam que 54% dos brasileiros estão com sobrepeso e aproximadamente 20% dos brasileiros já são considerados obesos. De acordo com o Ministério da Saúde, 1 em cada 5 brasileiros sofre com a obesidade. Nos últimos 10 anos, a população obesa no Brasil passou de 11,8% em 2006 para 18,9% em 2016, representando um crescimento de 60%. Este número é ainda mais alarmante quando levamos em consideração a população entre 18 e 24 anos, na qual houve um crescimento da obesidade em 110%.

 

Lorcasserina foi aprovada em 2012 pelo Food and Drug Administration (FDA) nos Estados Unidos como adjuvante de uma dieta reduzida em calorias e aumento da atividade física para controle crônico de peso em pacientes adultos com um índice de massa corporal (IMC) ≥30kg/m² (obesidade) ou ≥27 kg/m2 (sobrepeso) na presença de pelo menos uma comorbidade relacionada ao peso (exemplo: hipertensão, dislipidemia ou diabetes mellitus tipo 2). O produto foi lançado nos Estados Unidos em 2013, e aprovado em 2016 no México e Brasil.

 

Segurança Cardiovascular – Um estudo realizado em 12 mil pacientes obesos ou com sobrepeso que apresentavam doença cardiovascular aterosclerótica ou múltiplos fatores de risco, como hipertensão e diabetes, comprovou a segurança cardiovascular do tratamento com a lorcasserina. O estudo constatou que o tratamento a longo prazo não aumenta a incidência de Eventos Cardiovasculares Adversos Maiores (MACE), incluindo infarto do miocárdio, derrame e morte cardiovascular. O objetivo de segurança primário do estudo foi atendido e também foi demonstrado melhora de vários fatores de risco cardiovasculares, incluindo pressão arterial, lipídios, glicemia e função renal. Além disso, o tratamento com lorcasserina diminui o risco de incidência de diabetes, induz a remissão da hiperglicemia e reduz o risco de complicações microvasculares em pacientes obesos ou com excesso de peso, ajudando na modificação do estilo de vida para o controle crônico do peso e da saúde metabólica2,3.

 

Belviq® é o único medicamento para tratar obesidade e sobrepeso com comprovada segurança cardiovascular. O estudo de segurança cardiovascular em referência (CAMELLIA-TIMI 61) foi realizado em oito países, com acompanhamento médio de 3,3 anos e não mostrou diferença entre lorcasserina e placebo em eventos cardiovasculares (morte CV, IAM, AVC, IC, hospitalização por angina instável e revascularização miocárdica).2

 

Tolerabilidade – Trata-se de uma droga moderna com alta tolerabilidade, apresentando baixa incidência de eventos adversos, sendo os mais comumente relatados: cefaleia (dor de cabeça), tontura, fadiga, náusea, boca seca e constipação em pacientes sem diabetes, hipoglicemia, dor nas costas, tosse e fadiga em pacientes diabéticos, sendo eventos esporádicos e passageiros.

 

Belviq® na América Latina

 

Eurofarma e Eisai, empresa farmacêutica multinacional e líder em pesquisa e desenvolvimento com sede no Japão, firmaram acordo para comercialização e distribuição de Belviq em 18 países da América Latina (Argentina, Bolívia, Brasil, Colômbia, Equador, México, Paraguai, Peru, Uruguai, Venezuela e América Central e Caribe: Belize, Costa Rica, República Dominicana, El Salvador, Guatemala, Honduras, Nicarágua e Panamá).

 

“Nossa presença em toda América Latina, excelente performance em vendas e padrões éticos foram fatores fundamentais para a parceria com a Eisai, que passa a oferecer o medicamento em um mercado bastante relevante mundialmente”, explica Martha Penna, vice-presidente de Inovação da Eurofarma.

Indicação

 

BELVIQ é indicado como um adjuvante a uma dieta de redução de calorias e atividade física aumentada para o controle de peso crônico em pacientes adultos com um índice de massa corporal (IMC) inicial de:

• 30 kg/m2 ou maior (obeso), ou

• Pacientes com sobrepeso com um índice de massa corporal maior ou igual a 27 kg/m2 na presença de pelo menos uma condição comórbida relacionada ao peso, como hipertensão, dislipidemia, doença cardiovascular, diabetes tipo 2 controlado com agentes hipoglicemiantes orais, ou apneia do sono.

 

Contra-indicação

 

Gravidez

BELVIQ é contraindicado durante a gravidez, porque a perda de peso não oferece benefício potencial

a uma mulher grávida e pode resultar em dano fetal. Não há estudos adequados e bem controlados em mulheres grávidas. Uma vez que os estudos de reprodução animal não são sempre preditivos da resposta humana, este medicamento só deve ser usado durante a gravidez se claramente necessário.

 

Estudos de reprodução foram realizados em ratos e coelhos prenhes em exposições plasmáticas até 44 e 19 vezes a exposição humana, respectivamente, e não revelaram evidência de dano à fertilidade ou dano ao feto devido ao cloridrato de lorcasserina.

 

Efeitos potenciais sobre a fertilidade foram avaliados em um estudo em rato em que machos receberam cloridrato de lorcasserina por 4 semanas antes e até o período de acasalamento, e fêmeas receberam lorcasserina por 2 semanas antes do acasalamento e até o dia 7 da gestação. O cloridrato de lorcasserina não teve efeitos sobre a fertilidade de ratos em exposições até 29 vezes a exposição humana.

 

Este medicamento pertence à categoria de risco na gravidez X, portanto, este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas ou que possam* ficar grávidas durante o tratamento.

Informe imediatamente seu médico em caso de suspeita de gravidez.

* Significa mulheres que estejam planejando engravidar durante o tratamento.

 

REGISTRO: 1.7310.0006

 

VENDA SOB PRESCRIÇÃO MÉDICA.

 

 

 

(Fonte: Rede Press - 19/11/19)



Enquete

Associados

ipd-farma
Av. Churchill, 129, Grupo 1101 – Centro - Rio de Janeiro - RJ - CEP 20020-050
Tel: (21) 3077-0800 - Fax: 3077-0812