Acesso Restrito a Associados:

Busca no site:
Compartilhe
Notícias

Nanotecnologia brilha na área médica e da saúde

Data: 16/11/2015

É tudo muito menor do que o mínimo. Na aparência, no entanto, os produtos que utilizam a nanotecnologia são comuns e a maioria das pessoas nem sabe que os usa. A técnica já é aplicada na medicina, na eletrônica, na engenharia dos materiais, na química, na biologia, para citar alguns. Produtos cotidianos como pasta de dentes, filtro solar, creme hidratante e até curativos podem ser nanotecnológicos. Como também o para-choque dos automóveis.


E há muito mais por vir. A área da saúde e da medicina é um dos focos principais das pesquisas com a técnica. O Laboratório Cristália, por exemplo, desenvolveu uma cápsula para administrar vacinas não por injeção, mas por via oral. Uma nano esponjinha leva o antígeno pelo tubo digestivo, sem irritá-lo, e então estimula o desenvolvimento de anticorpos. Além de mais fácil de ser administrada, a vacina encapsulada pode ser mais barata, garante Ogari Pacheco, presidente do Cristália.


A cápsula ainda passa por estudos clínicos, e a mais avançada para entrar no mercado é a vacina contra hepatite C. O laboratório, que há cerca de sete anos faz pesquisa com nanotecnologia, também está desenvolvendo uma nano emulsão que aumenta a velocidade de absorção de anestesia. Essa anestesia, segundo Pacheco, tem uma carga lipídica muito menor e, portanto, é interessante para pacientes com altas taxas de colesterol, por exemplo. A vacina foi pesquisada em colaboração com o Instituto Butantan. Já o anestésico, totalmente desenvolvida nos laboratórios do grupo. "A nanotecnologia é uma ferramenta importante e agrega muitas possibilidades de desenvolvimento", diz Pacheco.


A nanotecnologia entrou nos laboratórios de O Boticário em 2002. A pesquisa foi evoluindo e em meados de 2008 o grupo lançou os primeiros produtos com a tecnologia. Na unidade de negócios O Boticário e Eudora, hidratantes têm moléculas funcionais que fazem com que o creme penetre mais profundamente na pele. "A eficácia é percebida tanto pela consumidora quando instrumentalmente", diz Gustavo de Campos Dieamant, gerente de pesquisa científica e tecnológica do grupo.


Entusiasmado com as possibilidades da nanotecnologia, o grupo vem investindo nas pesquisas, na compra de equipamentos. Produtos nanotecnológicos para cabelo também podem chegar ao mercado. O Boticário costuma analisar as tendências em cenários de cinco a dez anos, e a nanotecnologia aparece sempre, afirma Dieamant. "Sem dúvida identificamos a nanotecnologia como tendência, por sua performance e pelos benefícios que traz", diz.


"As empresas têm se interessado pela nano como tecnologia habilitadora, pela diferenciação que traz na performance do produto", confirma Maria Luisa Campos Machado Leal, diretora de desenvolvimento tecnológico e Inovação da Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI). No Brasil, segundo ela, os setores que têm mais utilizado a técnica são o de químicos, de metal, borracha e plástico.


Há também as áreas da saúde e odontológica, a agrícola e de alimentos. Segundo estimativa da ABDI, há cerca de 200 produtos nanotecnológicos de medicina no País.



(Fonte: Valor Econômico – 13/11/2015)



Enquete

Associados

ipd-farma
Av. Churchill, 129, Grupo 1101 – Centro - Rio de Janeiro - RJ - CEP 20020-050
Tel: (21) 3077-0800 - Fax: 3077-0812